Professores da educação básica decretam greve por tempo indeterminado

Por Redação
3 Min

Professores da educação básica decretam greve por tempo indeterminado

Após assembleia realizada entre representantes do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Candeias (SISEMC) e os professores da educação básica do município na última sexta-feira (07), os docentes candeienses decidiram decretar o estado de greve por tempo indeterminado e, conforme indica a lei, deram um prazo legal de 72 horas a partir da decretação para que iniciar a paralisação.

“Foi definido que os professores iniciam a greve na quinta-feira (13). Antes disso, eles continuam nas salas de aula”, explica o presidente do Sindicato do Servidores, Juscelino Santos.

A categoria decidiu pelo movimento grevista devido a quebra de acordo firmado pela prefeitura municipal de reajustar o salário dos professores de acordo com o reajuste do piso salarial nacional de 2013, que foi de 7,97%, percentagem determinada pelo Ministério da Educação. “Além disso, eles reivindicam os retroativos dos reajustes dos anos de 2011 (16%) e de 2012 (22,22%), que não foram realizados”, acrescenta Juscelino Santos.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato, que também é o presidente da Comissão de Educação, Magno Santana, o prefeito Sargento Francisco garantiu que até o final de maio de 2013 iria corrigir a distorção salarial, enquadrando-se com o piso nacional, o que não foi cumprido. “Reivindicávamos também o enquadramento do pessoal em 40 horas semanal, o que também foi garantido por ele não foi cumprido”, pontua Santana.

Ele afirma que, possivelmente, não terá outra opção a não ser entrar em greve. “Nós só desistiremos da greve se a prefeitura depositar em conta o retroativo de 2013, enquadrar o pessoal em 40 horas e sentar para negociar 2011 e 2012, se caso não tenha como pagar de imediato”, realça Santana, ao acrescentar que acredita que o prefeito não irá entrar em acordo com a categoria.

A respeito da educação no município, o presidente da Comissão de Educação afirma que a gestão atual “infelizmente tem uma cultura de não levar a educação a sério”. “Isso tem ocasionado um prejuízo nas condições de trabalho e no respeito do plano de cargos e salários”, afirma Santana, que também é professor no município de Candeias.

Para negociar com a categoria, a prefeitura enviou um ofício para o Sindicato dos Servidores e para Comissão de Educação convocando-os para uma mesa de negociação a ser realizada às 9h30, no Gabinete do Prefeito.

Grande Salvador

Compartilhe Isso
- Advertisement -