PMs condenados por morte de artista plástico na Bahia; um acusado expulso da corporação

Dois policiais militares e um ex-PM foram condenados pela morte do artista plástico Manoel Arnaldo Santos Filho, conhecido como Nadinho. As penas variam de dois a três anos de condenação em regime aberto. O crime ocorreu em 21 de abril de 2018, no ateliê do artista, situado em Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Segundo o G1, o juiz Paulo Roberto Santos Oliveira, da 1ª Vara de Auditoria Militar de Salvador, tomou a decisão.

Leia mais

Os condenados foram os soldados Edvaldo Nunes de Almeida, com pena de 2 anos e 8 meses de detenção, e Dinalvo dos Santos Paixão, com pena de 2 anos e 8 meses de detenção, além do ex-soldado Leandro Santos Xavier, com pena de 3 anos, 4 meses e 6 dias de detenção.

Leia mais

Leandro Santos Xavier, que foi expulso da PM, recebeu uma pena maior. Ele foi apontado como autor dos disparos que atingiram Nadinho. Edvaldo Nunes de Almeida e Dinalvo dos Santos Paixão também efetuaram os disparos, mas não acertaram o artista.

Leia mais

Familiares de Nadinho afirmaram que, no dia do acontecimento, os policiais entraram no ateliê atirando. Na época, a PM alegou que o artista estaria armado e teria disparado, mas a arma falhou. Após a sentença, moradores da região realizaram um protesto pedindo justiça para o caso.

Leia mais

O julgamento foi marcado por intensas discussões sobre a conduta dos policiais e a atuação da Justiça no caso. A condenação dos envolvidos pode representar um marco na busca por responsabilização em casos de violência policial contra a população. A família de Nadinho espera que a decisão judicial traga algum conforto e justiça diante da perda do artista.

Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Candeias Mix - Notícias de Candeias, Bahia e do Mundo