Boletim InfoGripe: VSR supera Covid-19 em óbitos infantis

Por Redação
3 Min

A disseminação crescente do vírus sincicial respiratório (VSR) tem causado um aumento significativo na incidência e mortalidade da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças menores de dois anos, ultrapassando as mortes relacionadas à covid-19 nessa faixa etária nas últimas oito semanas epidemiológicas.

De acordo com o Boletim Infogripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, divulgado na quinta-feira (25), o VSR representa 57,8% do total de casos recentes de SRAG com identificação de vírus respiratório. Outros vírus respiratórios que merecem destaque em crianças pequenas são o rinovírus e o Sars-Cov-2.

O relatório também aponta que, entre o número total de óbitos, o aumento da influenza A está fazendo com que a parcela associada a esse vírus se equipare à observada para a covid-19 nas últimas quatro semanas. No entanto, a covid-19 ainda possui uma ampla predominância na mortalidade de idosos, que também são o grupo etário mais afetado em relação às mortes por SRAG.

Prevalência
Nas últimas quatro semanas epidemiológicas, a prevalência de vírus respiratórios em casos com resultado positivo foi de influenza A (23%), influenza B (0,4%), vírus sincicial respiratório (57,8%) e Sars-CoV-2/Covid-19 (10,7%).

Em relação aos óbitos, a presença desses mesmos vírus entre os casos positivos foi de influenza A (32%), influenza B (0,3%), vírus sincicial respiratório (10,8%) e Sars-CoV-2/Covid-19 (53,9%).

O pesquisador do Procc/Fiocruz e coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, enfatiza a importância da vacinação, que atualmente está focada na campanha contra a influenza A, e do uso de máscaras adequadas (N95, KN95, PFF2) por qualquer pessoa que frequente unidades de saúde ou apresente sintomas de infecção respiratória.

“A atualização do Infogripe revela um aumento no número de novas internações por infecções respiratórias em todo o país. Este aumento é principalmente atribuído ao vírus VSR, que causa internações principalmente em crianças pequenas. Além disso, o vírus influenza A, responsável pela gripe, também está em ascensão em todo o país”, comentou o pesquisador.

Esses dados ilustram a urgência de medidas preventivas e de cuidado, como a vacinação e o uso de máscaras adequadas, para conter a propagação desses vírus respiratórios e proteger especialmente as crianças e os idosos, os grupos mais vulneráveis a complicações graves.

É essencial que a população esteja ciente da gravidade da situação e adote medidas de precaução para evitar a disseminação desses vírus respiratórios que têm sido responsáveis por um aumento significativo na incidência e mortalidade de SRAG em diferentes faixas etárias. A colaboração de todos é fundamental para enfrentar essa situação desafiadora e proteger a saúde pública.

Compartilhe Isso
- Advertisement -