Candeias: Prefeitura emite alerta epidemiologico contra influenza (H3N2)

0

Com casos confirmados por H3N2 em Candeias, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, recomenda que a população mantenha os protocolos de biossegurança usados para a Covid-19, a fim de mitigar a disseminação do vírus da Influenza H3N2 no Município. Conforme as notificações realizadas pelas unidades de saúde o município registrou até o dia 29 de dezembro de 2021, 606 notificações de Síndrome Gripal (SG) e 5 notificações de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), com confirmação de 2 caso positivo para H3N2.

CASO DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG-HOSPITALIZADO): Indivíduo com *SG que apresente: dispneia/desconforto respiratório OU pressão persistente no tórax OU saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente OU coloração azulada dos lábios ou rosto.
*SG: Indivíduo com quadro respiratório agudo, caracterizado por pelo menos dois (2) dos seguintes sinais e sintomas: febre (mesmo que referida), calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos). Para efeito de notificação no SIVEPGripe, devem ser considerados os casos de SRAG hospitalizados ou os óbitos por SRAG independente de hospitalização.

O tratamento com antiviral Oseltamivir tem se mostrado como recurso terapêutico de maior impacto na redução da gravidade da Influenza e dos óbitos dela decorrentes. O medicamento está indicado para todos os casos de SRAG e para situações específicas em casos de síndrome gripal de acordo com o Protocolo de Tratamento da Influenza 2017.
Apesar dos sinais e sintomas da SRAG por Influenza serem semelhantes aos da SRAG por Covid-19, diante do cenário epidemiológico atual de maior magnitude da Covid-19, diante de um caso suspeito deve-se adotar as condutas epidemiológicas e terapêuticas conforme orientação do Guia de Vigilância da Covid-19, até que seja estabelecido o diagnóstico laboratorial.

A Influenza
A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais, podendo também causar pandemias.
O período de incubação dos vírus influenza é geralmente de 2 dias, variando entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves.
A doença tem início, em geral, com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar, quadro que também pode ser desenvolvido com a Covid-19, além de outras viroses respiratórias.

A vacina influenza é uma das medidas de prevenção mais importantes para proteger contra a doença, além de contribuir na redução da circulação viral na população, bem como suas complicações e óbitos, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco.
Orientações à População
Uma ação fundamental para diminuir a circulação dos vírus da gripe é a adoção de hábitos simples:
● Higienizar as mãos com frequência;
● Utilizar máscaras em ambientes fechados e em público; ● Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
● Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
● Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
● Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
● Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
● Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;
● Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;
● Evitar visitas a hospitais;
● Ventilar os ambientes.
Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.
Para notificações ou em caso de dúvidas, entre em contato com a Vigilância Epidemiológica pelo (71)3605-1111 ou pelo email: viepcandeias@gmail.com

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.