SAO JOAO
SAO JOAO

Alerta: chás não são recomendados para menores de 6 meses

Por Redação
3 Min

A comunidade de Juazeiro, no norte da Bahia, ficou consternada com a trágica morte de uma bebê de apenas um mês. De acordo com informações da Polícia Civil, a mãe da pequena Laura Marina ofereceu chá à criança, cujo sabor não foi revelado, resultando em uma parada cardíaca no último domingo (9/6).

O caso levantou questionamentos sobre a segurança do consumo de chás por crianças tão novas. A pediatra Ludmila Carneiro, da Clínica CSI em Salvador, foi consultada a respeito e destacou a recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria de que crianças com menos de seis meses de idade não devem ser submetidas a nenhum tipo de chá. Nesse período, o aleitamento materno exclusivo é o mais indicado, sem adição de chás, sucos ou mesmo água.

A Dra. Ludmila enfatizou que, na ausência do aleitamento materno, a orientação é utilizar fórmula infantil conforme recomendação do pediatra. Ela alertou para os riscos associados à ingestão de chás em bebês, especialmente no que diz respeito ao sistema digestivo, uma vez que algumas substâncias presentes nos chás podem causar problemas como diarreia, constipação e afetar o fígado.

Além disso, a imaturidade do sistema imunológico dos bebês torna-os mais suscetíveis a alergias causadas por certas ervas presentes nos chás. A introdução de alimentos ou líquidos diferentes do leite materno prematuramente pode levar ao desmame precoce e prejudicar o ganho de peso e o desenvolvimento adequado das crianças, ressaltou a pediatra.

A tragédia que culminou na morte de Laura em Juazeiro foi um alerta para a necessidade de seguir as orientações médicas em relação à alimentação infantil. A bebê foi levada com urgência para a Unidade Pediátrica da cidade após apresentar uma parada cardiorrespiratória grave e, apesar dos esforços da equipe médica, não foi possível reverter seu quadro clínico, resultando em seu falecimento pouco tempo após dar entrada no centro de saúde.

A Secretaria de Saúde local confirmou o óbito e comunicou que a bebê recebeu atendimento imediato, porém seu estado de saúde já estava muito comprometido. Os pais da pequena foram convocados a prestar depoimento na delegacia.

Diante dessa triste ocorrência, fica evidente a importância de seguir as orientações médicas quanto à alimentação e cuidados com bebês e crianças pequenas, a fim de garantir sua saúde e bem-estar. A comunicação com profissionais capacitados, como pediatras, é fundamental para esclarecer dúvidas e evitar situações de risco como a que resultou na morte precoce de Laura em Juazeiro.

Compartilhe Isso
- Advertisement -