SAO JOAO
SAO JOAO

Anvisa implementa restrições para venda de zolpidem

Por Redação
3 Min

A resolução aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta quarta-feira (15/5) traz medidas mais rígidas em relação à venda do medicamento zolpidem, utilizado no tratamento da insônia de curta duração. A decisão foi tomada devido ao aumento do uso irregular e abusivo do remédio, que tem sido associado a diversos relatos preocupantes.

De acordo com a resolução, a partir do dia 1º de agosto, todos os medicamentos contendo zolpidem deverão ser prescritos por meio de Notificação de Receita B (azul), que requer um controle mais rigoroso. Além disso, o profissional responsável pela prescrição deverá estar cadastrado previamente na autoridade local de vigilância sanitária.

Antes da implementação desta resolução, a legislação permitia que concentrações de até 10mg de zolpidem fossem equiparadas aos medicamentos da lista C1, o que possibilitava a prescrição por meio de receitas brancas de duas vias. No entanto, após uma análise detalhada, a Anvisa identificou um aumento significativo no uso da substância, assim como um crescimento nas ocorrências de eventos adversos relacionados ao seu uso inadequado.

A agência destacou ainda que não existem evidências científicas que justifiquem um critério regulatório diferenciado para concentrações de até 10 mg do zolpidem. Portanto, a nova resolução visa promover um maior controle sobre a venda e prescrição do medicamento, com o objetivo de garantir a segurança e a adequada utilização por parte dos pacientes.

O zolpidem é um agente hipnótico utilizado no tratamento da insônia de curta duração, em casos de dificuldade para dormir ou manter o sono. No entanto, seu uso deve ser limitado ao mínimo necessário, não ultrapassando quatro semanas. É importante ressaltar que a continuidade do tratamento além desse período requer uma reavaliação da condição do paciente, uma vez que o risco de abuso e dependência aumenta com a dose e a duração do uso.

Além disso, o zolpidem pode causar efeitos adversos como sonambulismo e amnésia anterógrada, caracterizada pela perda de memória após o uso do medicamento. Por isso, é essencial que a prescrição e o uso desse medicamento sejam feitos com cautela e sob supervisão médica.

Essa resolução da Anvisa representa um importante passo no controle e regulação do uso do zolpidem, visando garantir a segurança e a eficácia do tratamento da insônia. O acompanhamento adequado por profissionais de saúde qualificados é essencial para prevenir eventuais riscos e garantir o uso adequado desse medicamento.

Portanto, a implementação dessas medidas mais rigorosas é fundamental para proteger a saúde e o bem-estar da população, evitando problemas relacionados ao uso inadequado e abusivo do zolpidem.A segurança e a eficácia dos tratamentos devem ser sempre priorizadas, e a Anvisa está cumprindo seu papel ao estabelecer regulamentações mais restritas para o controle do zolpidem.

Compartilhe Isso
- Advertisement -