Projeto recebido sem infraestrutura de drenagem.

Por Redação
4 Min

A secretária de Comunicação da gestão Sheila Lemos (União) emitiu nota rebatendo a alegação do vereador Valdemir Dias (PT), que acusou o município de não utilizar uma emenda do deputado federal Jorge Solla (PT), no valor de R$ 1,8 milhão para realizar a pavimentação.

Continua depois da Promoção

Ele acusa que a Conder fez a licitação, a empresa responsável foi contratada e a ordem de serviço foi dada para iniciar a obra que tinha como base um projeto aprovado pela Prefeitura, mas a obra não teve início.

“A Rua H, localizada no loteamento Cidade Modelo, está incluída no conjunto de vias que receberão serviços de drenagem e pavimentação por meio do programa Acelera Conquista. A intervenção beneficiará todo esse bairro e também ruas e avenidas dos loteamentos Bateias 2, Jardim Guanabara e Vila Marina”, explica o município em nota.

“Os serviços nessa via, em especial, não foram iniciados antes por razões técnicas. O projeto original, que seria viabilizado por uma emenda de R$ 1,8 milhão do mandato do deputado federal Jorge Solla, intermediada pelo vereador Valdemir Dias, previa a construção de um sistema de drenagem superficial – algo que a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra) considerou insuficiente, devido às condições topográficas da Rua H”, explica a gestão no comunicado.

Continua depois da Promoção

O secretário de Infraestrutura do município, Jackson Yoshiura, explicou que com o formato estabelecido não haveria um serviço completo de drenagem: “É uma rua praticamente plana. Na Rua H, nós temos historicamente acúmulo de água. Depois de todas as chuvas, a gente tem diversas reclamações de que a água está empossada, acumulada. Se a gente não colocar a drenagem, a gente vai perder o pavimento”.

A gestão alega que o projeto, inclusive, foi discutido numa reunião ocorrida na Seinfra, em novembro de 2023, da qual participaram técnicos da Prefeitura e da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Conder), além do vereador Valdemir Dias. Nessa ocasião, a equipe da Seinfra municipal reforçou a necessidade de que o projeto incluísse uma drenagem profunda, a fim de garantir um serviço de qualidade, e que fosse duradouro.

“Nós tivemos diversas reuniões, inclusive com a participação do vereador, informando quais seriam as necessidades do projeto”, relatou Jackson.

“Recebemos um projeto sem qualquer tipo de infraestrutura de drenagem. Conversamos com a Conder e nos foi passada a informação de que o recurso não seria suficiente para contemplar essa obra com drenagem”, esclarece o secretário.

O titular da Seinfra reforça, ainda, que o Governo Municipal não abriu mão do recurso oriundo da emenda parlamentar. “O que a gente quer é que os recursos cheguem, independentemente de quem seja, de que partido seja. A gente vai continuar executando todos eles”, defendeu Jackson.

“Estamos abertos a conversar com a Conder sobre a alocação desse recurso, em outros locais ou até mesmo na Rua H, desde que seja feito da maneira correta, com a drenagem e com a pavimentação. Estamos totalmente abertos a fazer todos os esclarecimentos”, conclui o secretário.

Compartilhe Isso
- Advertisement -