POLÊMICA! Sargento Isidório condena presença de casais gays em novelas da Globo: “Nojo”

Por Redação
4 Min

Deputado evangélico se autodenomina ex-gay; Fabíola Mansur rebate fala de parlamentar.

Continua depois da Promoção
Deputado Pastor Sargento Isidório durante discurso Foto: Rayana Azevêdo/Varela Notícias
Deputado Pastor Sargento Isidório durante discurso
Foto: Rayana Azevêdo/Varela Notícias

O deputado Pastor Sargento Isidório (PSC) causou polêmica ao fazer um pronunciamento considerado, pela maioria dos deputados, preconceituoso, ofensivo e que estimula o ódio na sessão plenária dessa quarta-feira (11), na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Durante seu discurso na tribuna, Isidório afirmou que  casais homossexuais agridem a família de Deus formada por macho e fêmea e que a mídia televisiva quer transformar a nação em um prostíbulo.

“A Rede Nojo (Globo) de Televisão quer empurrar em nossas vidas como uma coisa normal esse absurdo que são os casais gays. Ninguém é obrigado a ver essas nojeiras na sala da própria casa. toda novela tem essa sujeira agora”, disse.

O deputado chegou a criticar as atrizes Fernanda Montenegro e Natália Timberg, que formarão um casal na novela “Babilônia”. “Duas senhoras de idade se submetendo a esse papel, essa coisa suja.  Querer incentivar idosos de bem a serem gays em uma novela?  Já estão fazendo a cabeça dos jovens agora querem fazer a cabeça dos velhos. A vovó gay, o vovô gay”, declarou.

Continua depois da Promoção

Antes de encerrar seu discurso, Isidório representou trejeitos femininos na tribuna e usou termos pejorativos para ofender os homossexuais. “Querem transformar as pessoas como eu, que defendem a vida sadia em fundamentalistas, querem normalizar a imoralidade. Não se pode confundir o sexo entre o homem e a mulher, que é seguro, santo com coliformes fecais”, finalizou.

Em, seguida, a deputada Fabíola Mansur (PSB), utilizou seu tempo de fala para repudiar o discurso do deputado e foi apoiada por diversos colegas, do governo e da oposição, da AL-BA. “Vivemos em um estado laico, somos representantes do povo. Defendo a Constituição, o amor. E a Constituição garante direitos iguais à toda população. Não entrarei nessa guerra de heterossexual x homossexual. Quero apenas que todas as pessoas sejam respeitadas igualmente”, declarou.

Fabíola Mansur recebeu apoio dos deputados Adolfo Viana (PSDB), Marcel Moraes (PV), Marcelino Galo (PT) e Bira Corôa (PT), todos consideraram o discurso de Isidório preconceituoso e repudiaram a atitude do deputado.

“Acho um absurdo um deputado vir a tribuna e proferir palavras que demonstram tamanho preconceito como fez o deputado Sargento Isidório, disse Adolfo Viana. O Deputado Marcel Moraes foi além e defendeu a diversidade usando sua filha como exemplo. “Tenho uma filha de quatro meses e se ela for gay, eu apoiarei por que o que me importa é que ela seja feliz. Nós precisamos ser contra pessoas reacionárias que pensam estar na ditadura como vossa excelência, deputado Isidório”, declarou.

Marcelino Galo afirmou que o discurso faltou com decoro. “Suas palavras estimulam o ódio, o desrespeito a sociedade e isso nos indigna. Você precisa ter princípios, retire o que senhor falou em nome dessa casa”.

Bira Corôa reforçou a opinião dos colegas. “Esse discurso reafirma a sociedade machista e preconceituosa em que vivemos, que discrimina as minorias. Deixo aqui o meu repúdio a quem não respeita as pessoas de forma igualitária”, afirmou.

Extraido de Varela Notícias

Compartilhe Isso
- Advertisement -