PF faz operação e afasta secretários em Feira de Santana

Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta quinta-feira, 4

0
Empresa contratada para consultoria a UPA pertencia ao secretário de Saúde Marcelo Britto – Foto: Divulgação / Polícia Federal

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta quinta-feira, 4, sete mandados de busca e apreensão em Salvador e Feira de Santana na ” Operação No Service”, que investiga irregularidades de superfaturamento na contratação de empresas por parte do atual Secretário de Saúde de Feira de Santana, Marcelo Britto.

De acordo com a PF, a operação foi executada por conta da contratação irregular da empresa de Britto por parte do secretário de governo de Feira, Denilton Pereira. Os dois secretários foram afastados dos cargos.

A investigação detectou que a Prefeitura de Feira de Santana realizou licitação no ano de 2018 para contratação de uma organização que iria atuar na gestão compartilhada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Queimadinha. O contrato, de um ano, foi firmado pelo valor de R$ 11.909.004,00, podendo ser renovado por 5 anos.

No entanto, a Polícia Federal descobriu a gestão da UPA, fechou contrato com uma empresa pertencente ao atual Secretário de Saúde do município, pelo valor de R$ 44 mil mensais, que nunca prestou qualquer tipo de serviço, seja de ordem médica ou de consultoria.

A contratação da empresa teria partido de ordem do atual Secretário de Governo do município, Denilton Pereira Brito, que, em parceria com os diretores da empresa, simularam uma contratação falsa e desviaram recursos públicos superiores a R$ 200 mil.

O dinheiro era depositado na conta de Denilton, que aplicava boa parte em investimentos e outra parte repassava para pessoas físicas e jurídicas. De acordo com a PF, os investigados irão responder pelos crimes de peculato e de superfaturamento de licitação mediante a inexecução completa do contrato.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.