“Minha pré-candidatura não é minha, mas da região”, afirma Soraia Cabral

0

A pré-candidata a deputada estadual, Soraia Cabral (PP), foi a entrevistada desta quinta-feira (30), no programa Baiana Livre, da rádio Baiana FM. Na oportunidade ela voltou a responder questionamentos sobre infraestrutura, empregabilidade e representatividade política para buscar benefícios para a região.

Com um perfil forte, Soraia iniciou a entrevista dizendo que vai brigar pela região e que não admite que as cidades de Candeias, Madre, São Francisco do Conde, São Sebastião, Pojuca e outras localidades fiquem apenas com os ônus, já que empresas e fábricas são instaladas nessas áreas e o povo viva de cuia na mão pedindo a um e a outro alguma coisa e só fiquem com o que sobra.

“Eu fui passar o São Pedro em São Francisco do Conde e a estrada está uma vergonha. É aquele povo que respira os produtos químicos da Refinaria e olha o tratamento que eles recebem?”, questionou. “Mas o povo terá uma representante dele, que mora na região, que vive os problemas da região e que transita o tempo todo entre as cidades. Você não vai me ver de visita, eu moro aqui, compro pão na padaria daqui, vou no salão de beleza daqui, compro roupa e comida aqui. Chega de representação à distância”, desabafou.

Soraia continuou: “Olha o potencial dessa região e mesmo assim não tem quem brigue por nós. Uma das maiores rendas do Estado vem dessas cidades, agora pergunte onde está o hospital regional. Por que não podemos ter um hospital de alta complexidade perto dessas cidades? Temos que ficar penando por uma regulação, assistindo os nossos morrerem por causa da fila de espera, isso não admito e, seja quem for o governador, Deus permitindo que eu chegue naquela Assembleia, vou ficar no pé dele, vou levar a bandeira da minha região e ele que lute”, garantiu.

Os apresentadores perguntaram sobre a escolha pelo PP, se partiu do prefeito Pitagoras ou foi uma articulação do deputado federal Cacá Leão. “Nós somos a família PP, porque existe Cacá e Leão e eles nos deram suporte durante todo esse tempo. Pitagoras chegou jovem na prefeitura, daí eles nos orientaram, nos deram conselhos e mantiveram o respaldo de Candeias no cenário político. Por isso Pitagoras preferiu que nós estejamos perto dos amigos”, respondeu.

Um dos pontos altos da entrevista foi a pergunta do apresentador Diego Maia sobre o rompimento do PP com PT e como ficou a relação com o diretório municipal do Partido dos Trabalhadores, já que a vice é do PT.

“Todos nós fomos pegos de surpresa e o rompimento não é bom para ninguém. Leão tomou conhecimento através de uma entrevista que estava sendo praticamente descartado pelo governador. Leão reuniu os amigos prefeitos passou tudo que aconteceu, alguns disseram que não iria caminhar naquele momento por ter algumas pendências com o Governo do Estado e outros, a exemplo de Pitagoras, disseram que iriam para o enfrentamento. Pitagoras conversou com Rui e disse que gostava muito dele mas que não iria caminhar por ter fidelidade ao partido e ter uma excelente relação com João Leão, logo, não poderia fazer isso. Ele me trouxe para política, caminhou comigo o tempo todo, não sou traidor”, contou.

Soraia disse ainda que se sentiu coagida a partir do momento que Rui disse que iria lançar um candidato a estadual só para tirar votos dela, caso a mesma se filiasse ao PP. “Me senti ofendida, pois aquela fala foi desnecessária por parte de alguém que não esperava e no outro dia eu fui e me filiei ao PP”, revelou.

Sobre o apoio a ACM Neto, Soraia disse que o ex-prefeito de Salvador está muito mais preparado para assumir o Estado do que Jerônimo. “A educação da Bahia está nos piores índices e eu não posso entregar meu Estado a qualquer pessoa, Neto tem projeto e vai fazer o melhor para a Bahia”, acredita.

Quanto a relação com a vice-prefeita Marivalda e o presidente do PT, em Candeias, Carlos Martins, Soraia disse que os amigos estão travando uma verdadeira guerra porque eles acreditam no projeto de transformação da nossa região e não existe rompimento no PT municipal.

“São pessoas amigas que têm meu respeito e também querem o bem da cidade. Até então tá tudo na paz, a gente vem caminhando juntos, discutindo com todo respeito, pois eles vão marchar com o partido deles, da mesma forma que eles entendem que estamos buscando nosso apoio, seguindo a liderança do prefeito Pitagoras e cada um vai fazer seus respectivos caminhos”, resumiu.

Soraia fechou a entrevista falando da importância de ter mulher na Assembleia. Dos 63 deputados, apenas 10 é do sexo oposto. “Esse projeto da mulher também vou levar com muito carinho, pois as mulheres hoje são provedoras de muitos lares e não podem só ter direito a programas sociais. A mulher tem que ter cota no mercado de trabalho, já que tem cotas para outros públicos e por que para a mulher é tudo mais difícil?”, indagou.

Soraia disse ainda que a base da campanha e de seu mandato será ficar perto das pessoas. “Tem lugares que eu evito até de ir, para não criar uma falsa ideia que estarei nesses lugares. Quero ser verdadeira e não quero decepcionar nenhum eleitor que me confiou o voto. Termino dizendo que essa pré-candidatura não é de Soraia, mas é da região. Se a gente entender isso iremos longe”, encerrou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.