“Amarelinho” e “vermelhinho”: colorido chama a atenção durante discussão entre Otto e advogado na CPI; assista

0
Foto:Jane Araújo/ Agência Senado

O senador Otto Alencar (PSD-BA) se desentendeu, nesta quarta-feira (30/6), com o advogado de Carlos Wizard, Alberto Zacharias Toron, que estava na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Covid, acompanhando o depoente.

A confusão começou quando o senador baiano, que no momento presidia a sessão, afirmou que, enquanto Wizard havia “amarelado”, o seu advogado estava “vermelhinho” como se tivesse tomado “banho de sol”. “Eu não tomei banho de sol, nem de mar. Vossa excelência está errado”, disse o advogado.

“Não dei palavra ao senhor. O senhor está vermelhinho e ele amarelou”, rebateu o senador, fazendo referência ao empresário Wizard.  Toron tentou responder ao senador, mas foi interrompido pelo parlamentar e se irritou.

“O senhor não pode me ofender. Isso é de uma covardia”. O baiano reagiu à manifestação do advogado. “Não pode me chamar de covarde aqui não. Eu mando lhe retirar daqui. Polícia Legislativa para tirar esse senhor daqui. Tira agora. Ou senhor pede desculpa ou lhe tiro agora”, disparou.

Em seguida, a sessão foi interrompida e o advogado permaneceu na sessão da CPI. Após o desentendimento, Toron e Alencar se entenderam e a sessão continuou, sem que a Polícia Legislativa precisasse agir.

O empresário Carlos Wizard Martins é apontado como integrante de um suposto “gabinete paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e já inserido na lista dos primeiros 14 investigados da comissão.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.