Jerônimo sanciona lei do programa Bahia Pela Paz.

Por Redação
4 Min

Lei do Programa Bahia Pela Paz é sancionada pelo Governador Jerônimo Rodrigues

A tão aguardada lei que institui o programa Bahia Pela Paz foi oficialmente sancionada pelo governador Jerônimo Rodrigues nesta terça-feira (4). O chefe do executivo baiano reuniu o comitê de governança do programa, que é composto pelo Governo do Estado, Tribunal de Justiça do Estado (TJ-BA), Ministério Público e Defensoria Pública do Estado da Bahia, para realizar o ato de sanção da lei, que em breve será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE).

Durante o evento, Jerônimo destacou a importância do ato formal e explicou os próximos passos a serem seguidos em conjunto com as demais instituições. Celebramos hoje mais uma vitória, mais uma etapa do ‘Bahia Pela Paz. Temos a alegria de celebrar com essas instituições a criação definitiva dessa política, porque hoje a lei regulamentada passa a vigorar. Apresentaremos à sociedade baiana um plano de ação, que também envolve a estruturação do estado para poder absorver as demandas prioritárias e realizar as ações e promover oportunidades para a juventude”, afirmou o governador, que contou com a presença do vice-Governador Geraldo Júnior, do presidente da Assembleia Legislativa Adolfo Menezes, do desembargador do TJ-BA Geder Luiz Rocha Gomes, do procurador-geral de Justiça Pedro Maia e da defensora pública-geral Firmiane Venâncio.

Com a regulamentação, as instituições que integram o programa passam a constituir as câmaras de trabalho que vão lançar os editais e os processos de seleção para o início das atividades. Durante os meses de junho e julho, serão anunciadas as medidas estruturantes, com ações que devem ter reflexo direto nas políticas sociais que o programa executará nas localidades selecionadas.

O plano de ação apresentado durante a reunião prevê, também, a implantação das câmaras temáticas intersetoriais, que acompanharão as ações do programa. A primeira a ser criada será a de Prevenção Social da Violência.

Em julho, será iniciado o processo de escutas comunitárias, quando agentes do programa estarão nas comunidades selecionadas para discutir, junto à população e lideranças locais, as principais demandas e como as ações previstas podem ser executadas, atendendo as especificidades de cada contexto social. Seis comunidades de Salvador e de Feira de Santana serão atendidas pelo programa neste ano.

“O Bahia Pela Paz tem como centro a concepção de que é preciso gerar mais oportunidades para a juventude. Então, com foco nas comunidades que, hoje, são violentadas pelos altos índices de estatísticas criminais, por práticas do crime organizado, nós queremos oferecer para a juventude desses lugares novas perspectivas de trabalho, emprego, renda, cultura, esporte e educação, com políticas de educação forte e, também, com ação muito direcionada de busca ativa”, frisou o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Felipe Freitas.

Ainda de acordo com o gestor da SJDH, os coletivos, que serão bases físicas de funcionamento do programa, irão contar com profissionais capacitados para fazer chegar até os jovens de cada comunidade a oportunidade de participação nas ações ofertadas pelo Bahia Pela Paz. “No nosso programa, a ideia é o encontro dessa juventude, trazê-la para dentro da nossa estratégia de política de prevenção, e oferecer para elas e, para suas famílias, oportunidades de inclusão e de cidadania”, completou Felipe.

Além do titular da SJDH, participaram da agenda os secretários estaduais da Segurança Pública (SSP-BA), Marcelo Werner, de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Ângela Guimarães, e da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), Fabya Reis.

Compartilhe Isso
- Advertisement -