Gleisi Hoffmann responsabiliza presidente do BC por problemas econômicos

Por Redação
3 Min

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, fez novas críticas ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Em uma publicação nas redes sociais, Gleisi, que tem aumentado suas críticas a Campos Neto, acusou o presidente do BC de sabotar a economia ao não informar ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), sobre os cortes no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

“Houve várias mudanças de orientação, estou aqui há quase 6 anos e em nenhum momento passou pela minha cabeça ligar para o ministro Paulo Guedes para dizer que eu achava que a orientação iria mudar para A, B ou C. É uma prerrogativa do Banco Central, que tem autonomia. Nunca fiz isso no governo anterior e com certeza não planejo fazer neste”, disparou Gleisi.

No embate político, Gleisi Hoffmann questionou a postura de Roberto Campos Neto em relação à comunicação com o Ministério da Fazenda. A deputada federal destacou a importância de uma maior transparência e diálogo entre as instituições para garantir a estabilidade econômica do país.

A presidente do PT ressaltou que as decisões do Banco Central impactam diretamente na economia nacional e, por esse motivo, é fundamental que haja uma comunicação eficiente com os órgãos responsáveis pela condução da política econômica do governo.

Campos Neto, por sua vez, defendeu a autonomia do Banco Central e reafirmou que as decisões sobre a taxa de juros e demais instrumentos de política monetária são tomadas com base em análises técnicas e projeções econômicas.

A troca de críticas entre Gleisi Hoffmann e Roberto Campos Neto evidencia a polarização política existente no cenário nacional. Enquanto a presidente do PT cobra mais transparência e diálogo, o presidente do Banco Central reitera a independência da instituição e a necessidade de manter a estabilidade econômica como prioridade.

Diante desse cenário, a sociedade aguarda por um maior entendimento e cooperação entre as diferentes esferas do governo para garantir o equilíbrio e o desenvolvimento econômico do país. A atuação conjunta e a busca por consensos são fundamentais para superar os desafios e promover o bem-estar da população brasileira. A expectativa é que o diálogo entre as partes envolvidas possa contribuir para a construção de soluções efetivas e sustentáveis para os problemas econômicos enfrentados pela nação.

Compartilhe Isso