Desembargadora assume governo da Bahia com viagem de Jerônimo à Europa

Por Redação
3 Min

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adolfo Menezes (PSD), se viu obrigado a desistir de assumir o comando do Executivo estadual neste sábado (11), quando o governador Jerônimo Rodrigues (PT) embarca para uma viagem oficial à Europa (Holanda e Bélgica). Com isso, quem está ocupando o cargo interinamente é a presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a desembargadora Cynthia Maria Pina Resende, terceira na linha de sucessão.

O vice-governador Geraldo Júnior (MDB) não pode assumir o posto porque é pré-candidato a prefeito de Salvador. Já Adolfo, por sua vez, tem a esposa, Denise Meneses (PSD), como postulante em Campo Formoso, o que acarreta no impedimento. Caso o parlamentar substituísse Jerônimo, sua companheira se tornaria inelegível – de acordo com o artigo 14 da Constituição brasileira, a cônjuge do governador, mesmo que ocupando o cargo temporariamente e no período de seis meses que antecede o pleito, fica impossibilitada de concorrer.

O próprio Adolfo revelou ao Toda Bahia, na quarta-feira (08), que foi informado da viagem do governador e da necessidade de assumir interinamente o cargo. No entanto, após consultar advogados, ele decidiu recusar a oportunidade de ser interino, mesmo que resignado.

Natural de Aracaju, no estado de Sergipe, e graduada em Direito pela Universidade Católica do Salvador (Ucsal), Cyntia Maria Pina Resende foi aprovada em concurso público para o cargo de juíza do TJ-BA em 1984, e deu início à carreira na Comarca de Brejões. Ela atuou na Vara Cível de Cícero Dantas e na Vara Crime de Ipirá.

Entre 1992 e 1997, desempenhou funções nos Juizados Especiais de Defesa do Consumidor da capital, assumindo em seguida a titularidade da 1ª Vara Especializada de Defesa do Consumidor da Comarca de Salvador, e posteriormente da 64ª Vara de Substituições da capital baiana. Ela integrou o TRE-BA na classe de juíza de direito por dois biênios: 2006/2008 e 2008/2010.

Em 2010, foi promovida para o 2º grau pelo critério de merecimento. No biênio 2016/2018, ela assumiu a Corregedoria das Comarcas do Interior. Exerceu função na Quarta Câmara Cível, Seção de Direito Privado, Seções Cíveis Reunidas e Tribunal. Ela presidiu a Comissão de Reforma Judiciária, Administrativa e Regimento Interno, e foi Coordenadora de Apoio ao Primeiro Grau e do Grupo de Trabalho da Linguagem Simples no TJ-BA.

Como Coordenadora de Apoio ao Primeiro Grau, a desembargadora liderou a instalação de salas passivas nas comarcas do Estado da Bahia. Mais de 7 mil atendimentos já foram realizados pelo TJ-BA através das salas passivas de videoconferência. A implementação das unidades teve início em junho de 2022.

Compartilhe Isso
- Advertisement -