TSE agenda julgamento de recursos que pedem cassação de Sergio Moro

Por Redação
3 Min

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) agendou para as sessões dos dias 16 e 21 deste mês o julgamento dos recursos que solicitam a cassação do mandato do senador Sergio Moro (União-PR), ex-juiz da Operação Lava Jato.

Continua depois da Promoção

Os recursos do PL e do PT que contestam a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná, que rejeitou a cassação do parlamentar no mês passado, serão julgados pelo tribunal.

Os dois partidos acusaram Moro de realizar gastos irregulares durante o período de pré-campanha, no entanto, os desembargadores paranaenses absolveram o senador das acusações por 5 votos a 2.

No final de 2021, Moro estava filiado ao Podemos e realizou atos de pré-candidatura à Presidência da República. Segundo a acusação, houve uma “desvantagem ilícita” em favor dos demais concorrentes ao cargo de senador devido aos “altos investimentos financeiros” realizados antes de Moro sair da sigla e se candidatar ao Senado pelo partido União Brasil.

Continua depois da Promoção

De acordo com o Ministério Público, foram gastos cerca de R$ 2 milhões, provenientes do Fundo Partidário, com o evento de filiação de Moro ao Podemos e com a contratação de produção de vídeos para promoção pessoal, além de consultorias eleitorais. O PL apontou supostos gastos irregulares de R$ 7 milhões, enquanto o PT alegou R$ 21 milhões.

Os advogados de Moro defenderam a manutenção do mandato e refutaram as alegações de irregularidades na pré-campanha. Segundo o advogado Gustavo Guedes, Moro não se elegeu no Paraná devido à suposta pré-campanha “mais robusta”, como as legendas acusam.

O julgamento dos recursos que pedem a cassação do mandato de Sergio Moro está gerando grande expectativa entre os envolvidos e a sociedade em geral. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral será crucial para o futuro político do senador e terá grandes repercussões no cenário político nacional.

A defesa de Moro alega que não houve irregularidades em sua pré-campanha e que as acusações feitas pelo PL e PT são infundadas. A defesa argumenta que Moro agiu dentro da legalidade e que as despesas realizadas durante o período de pré-campanha foram devidamente declaradas e aprovadas pelas autoridades competentes.

O caso envolvendo a cassação do mandato de Sergio Moro tem gerado intensos debates e discussões sobre a ética na política e o uso correto dos recursos públicos. A decisão do TSE será fundamental para estabelecer um precedente sobre a conduta dos candidatos durante o período eleitoral e para garantir a lisura e transparência no processo democrático. Espera-se que o julgamento seja conduzido de forma imparcial e que a justiça seja feita, respeitando os princípios da legalidade e da democracia.

Compartilhe Isso
- Advertisement -