Investigação aponta que não há mandante por trás da morte de Bruno Pereira e Dom Phillips, diz PF

0

A Polícia Federal informou nesta sexta-feira (17) que as investigações sobre a morte do indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips apontam que não houve mandante ou organização criminosa envolvida no crime.

A nota divulgada pelo comitê de crise, coordenado pela PF, diz que a apuração continua e novas prisões podem ocorrer, mas as investigações “apontam que os executores agiram sozinhos”.

Até o momento, duas pessoas foram presas por suposto envolvimento com o desaparecimento de Bruno e Dom: Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado” – que confessou o crime na quarta (15) –, e o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira.

Na quinta, fontes ligadas à investigação afirmaram à GloboNews que o inquérito apurava a conduta de cinco suspeitos, incluindo um possível mandante. As pistas sobre essa pessoa, no entanto, ainda eram escassas.

O indigenista brasileiro e o jornalista inglês desapareceram em 5 de junho, na região do Vale do Javari, na Amazônia. A reserva é palco de conflitos relacionados ao tráfico de drogas, roubo de madeira e garimpo ilegal.

A procura pelos dois teve início no próprio domingo do desaparecimento, dia 5 de junho, por integrantes da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.