Tráfico internacional: operação combate organização criminosa que pretendia levar 600kg de cocaína para Portugal

Droga sairia de Salvador em avião executivo; Operação Descobrimento cumpriu 52 mandados na BA, SP e MT, e nas cidades de Lisboa e Braga, em Portugal

0
Crédito da Foto: Imagem Ilustrativa

Na manhã desta terça-feira (19), a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Descobrimento*, cumprindo 52 mandados de prisão preventiva e busca e apreensão. No Brasil, os mandados foram cumpridos nos estados da Bahia, São Paulo e Mato Grosso, e em Portugal, nas cidades de Lisboa e Braga.

As investigações, que contaram com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal (MPF) na Bahia, foram iniciadas em 9 de fevereiro de 2021, com a apreensão de 600 kg de cocaína, acondicionados na fuselagem do Jato Executivo Falcon 900B, prefixo CS-DTP, no Aeroporto de Salvador/BA. O destino do entorpecente era Portugal, país de onde decolou a aeronave para buscar a droga no Brasil.

Organização criminosa – Com o avanço da investigação, foram identificados diversos núcleos envolvidos com o tráfico internacional de drogas: proprietários da droga, mecânicos de aviação, auxiliares (responsáveis pela abertura da fuselagem da aeronave para acondicionar o entorpecente), transportadores (responsáveis pelo voo) e doleiros. Alguns investigados são integrantes do Primeiro Comando da Capital.

Cooperação Internacional – Em razão da complexidade da investigação e por haver integrantes da organização criminosa em diversos países, a operação contou com o apoio da Secretaria de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República, do Ministério Público de Portugal, da DEA (Drug Enforcement Administration – Agência norte-americana de combate às drogas) e da Polícia Judiciária Portuguesa (Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes).

*De acordo com a PF, o nome da operação remete à relação histórica entre Brasil e Portugal, bem como ao descobrimento da identidade oculta dos investigados.

Com informações da Polícia Federal

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.