Amigo confessa ter matado médico e jogado corpo em rio; “sonho profético” seria a motivação

0
Foto: arquivo pessoal

Geraldo Freitas de Carvalho Júnior, preso acusado de matar o médico acreano Andrade Lopes Santana, de 32 anos, confessou o crime. A informação foi confirmada ao Aratu On neste sábado (5/6), pelo delegado Roberto Leal, responsável pelas investigações.

Segundo o delegado, Geraldo informou aos policiais na última quarta-feira (2), que um parente dele teve um sonho profético informando que ele seria morto por duas pessoas. No dia do crime, ao se encontrar com a vítima, viu uma troca de mensagens no celular de Andrade, com um desafeto dele, e pensou que o médico estava de conluio para assassiná-lo .

“Ele [Geraldo] lembrou do sonho e imaginou que Andrade e seu desafeto estariam tramando a morte dele. No rio, ele exigiu que a vítima entregasse o celular e quando Andrade não entregou, ele sacou a pistola e efetuou o disparo”, relata o delegado.

Em seu depoimento, Geraldo afirmou que como estava com uma âncora para prender uma moto aquática utilizou o equipamento para amarrar o corpo de Andrade e jogá-lo no rio.

Antes de ser apontado como suspeito do crime, Geraldo Freitas, que era considerado um dos melhores amigos da vítima, recebeu os familiares de Andrade, que saíram do Acre para acompanhar as buscas pelo corpo. O homem também foi o responsável por registrar o desaparecimento na delegacia de Feira de Santana. O delegado informou que a polícia começou a suspeitar de Geraldo Freitas após contradições apresentadas no depoimento.

Geraldo está preso no Presídio Regional de Feira de Santana e estará à disposição da justiça após o mandado de prisão temporária vencer no próximo dia 27. O caso segue sendo investigado e outras testemunhas ainda serão ouvidas, pessoas ligadas à vítima e ao acusado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Secured By miniOrange