“Tribunal do crime” executa jovem de 16 anos que teria ligação com tortura de motorista por aplicativo

0

Foto: motorista sendo torturado – arquivo

Um adolescente de 16 anos identificado pelas iniciais J. de J.S foi assassinado a tiros na noite da quarta-feira (14/5) na Rua Alto da Sapucaia, no bairro da Fazenda Grande do Retiro, em Salvador. De acordo com a Polícia Militar, o caso aconteceu por volta das 23h.

Ainda segundo a PM, uma guarnição da 9ª Companhia Independente (CIPM/Pirajá) foi acionada por meio do Centro Integrado de Comunicações (CICOM). No local, encontrou o jovem sem vida. A área foi isolada e o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) realizou a perícia.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Oficialmente a polícia não confirma, mas um oficial da 9ª CIPM disse ao Aratu On que J. de J.S, que já tinha sido apreendido por homicídio, fazia parte da facção criminosa “Bonde do Ajeita”. O grupo é o mesmo que gravou um vídeo torturando um motorista de aplicativo no domingo (10/5) também na Fazenda Grande do Retiro.

Na gravação, a vítima aparece sofrendo ameaças dos criminosos, que estão armados. Ele entrega dinheiro, relógio, celular e até o próprio carro, mas a dupla de assaltantes perguntam se o veículo possui rastreador parecem recuar ao obter uma confirmação.

A polícia trabalha com a hipótese de que a motivação do assassinato foi uma espécie de “tribunal do crime” já que pode ter relação com o ataque ao trabalhador. Agora, é preciso saber se o adolescente participou da ação criminosa ou ajudou a espalhar o arquivo nas redes sociais.

REPERCUSSÃO 

O caso ganhou destaque após a divulgação das imagens e logo apareceram várias notícias falsas em relação ao crime. Uma delas envolve o nome de Rubem Pedro Trindade, de 28 anos, que sequer é investigado.

Ele sustentou que  teria mandado uma mensagem para um amigo junto com uma selfie, “comentando que era um absurdo fazer isso com um trabalhador”. Depois, foi confundido com os bandidos. “Esse colega enviou a foto para outro grupo, com 11 pessoas, e alguém, de má fé, fez uma montagem com minha foto e o vídeo”, disse, ao Aratu On, após afirmar que está “desesperado” com a repercussão.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Secured By miniOrange