32 pessoas foram assassinadas na primeira semana do ano em Salvador e RMS

1

Por: Gilberto Júnior/BNews

Duplo homicídio, feminicídio e tardes agitadas com múltiplos homicídios marcaram as ocorrências policiais de Salvador e Região Metropolitana de Salvador (RMS), na primeira semana do ano, que compreende do último domingo (05) e sexta-feira (10). Ao todo, 32 pessoas foram assassinadas neste período.

O dia mais violento foi o domingo, com 11 óbitos, desses, apenas 23% foram na capital baiana. No quadro geral, no entanto, foi em Salvador que ocorreu a maior parte dos crimes (56%). Em relação as tentativas contra a vida, nesse período dois homens sofreram com esse tipo de crime na cidade.

Entre os casos de grande repercussão está o feminicídio no bairro da Boca do Rio, em Salvador. Rafaela Lima Souza, 22 anos, foi ferida a golpes de faca, informações preliminares dão conta que o autor do ataque foi o próprio companheiro da vítima. A relação, conforme relatos da vizinhança, era conturbada.

Na RMS, dois irmãos foram executados dentro da própria residência. Segundo informações da polícia, quatro homens armados invadiram a casa onde moravam as vítimas e dispararam contra elas. Ainda de acordo com o órgão, eles tinham envolvimento com o tráfico de drogas.

Um menor e dois homens tiveram os corpos abandonados em via pública no Subúrbio Ferroviário. O primeiro foi no Parque São Bartolomeu, a vítima foi sequestrada no último domingo (5), no bairro do Lobato e seu corpo foi encontrado dois dias depois no Parque. Além disso, o jovem foi apreendido no ano de 2019 suspeito de ter praticado assaltos.

Em Paripe, em baixo do viaduto, dois homens sem identificação foram encontrados com vários disparos e com traumas faciais graves.

No interior da Bahia, um crime chocou a população, um garoto de 14 anos é suspeito de matar uma criança de 12 anos no município de Entre Rios (BA). Conforme apuração da polícia, o tiro de espingarda foi acidental. Os envolvidos eram primos e a arma do crime pertencia ao tio deles.

Os crimes serão investigados pela Polícia Civil.

  1. Maria José Silva Diz

    Misericórdia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Secured By miniOrange