Policiais civis fazem protesto durante Lavagem do Bonfim

Por Redação
5 Min
Servidores de várias áreas da segurança pública foram às ruas durante a Festa do Bonfim, com faixas e cartazes de protesto(Foto: Divulgação)
Servidores de várias áreas da segurança pública foram às ruas durante a Festa do Bonfim, com faixas e cartazes de protesto(Foto: Divulgação)

Os servidores das Polícias Civil e Técnica realizaram na manhã de hoje(12), um ato público durante a Lavagem do Bonfim com objetivo, segundo eles, de mostrar ao governo Rui Costa, a insatisfação com a condução das políticas de segurança no estado.

Reivindicação por melhores salários, mas principalmente, condições de trabalho oferecidas foram as principais motivações da manifestação. Eles reclamam da dificuldade em dialogar com os representantes oficiais do Governo do Estado e dizem que no segundo semestre de 2016 as entidades que representam os Delegados, Investigadores, Escrivães, Peritos Criminais, Técnicos, Médicos e Odontos Legais resolveram criar o movimento integrado cujo objetivo é realizar negociações conjuntas tendo em vista que muitas pautas são comuns a todas as categorias.

A categoria diz que o movimento tentou, em diversas ocasiões, conversar com secretários, superintendentes, líder do Governo, Deputados da base e com o próprio Governador obtendo, inclusive, êxito em alguns agendamentos, porém as reuniões não avançaram e as demandas não foram cumpridas.

“Nosso movimento não é apenas em busca de melhores salários, mas, sobretudo de condições mínimas de trabalho. Lutamos por uma Bahia sem violência e para promovermos um combate ao crime de forma qualificada precisamos controlar nossas ferramentas tecnológicas de investigação e minimamente contar com locais de trabalho adequados para tanto. Temos consciência que todos os dias oferecemos o nosso melhor para servir ao povo, porém não assumiremos mais o ônus da ingerência que hoje domina a pasta da Segurança Pública”, afirma o presidente do Sindicato dos Delegados Fábio Lordello.

Nas faixas levadas pelos servidores palavras de ordens como: “Polícia Civil e Técnica têm o pior salário do país”, “Salve a Polícia Civil e Técnica”, “Contra Corrupção”, “Contra o Sucateamento dos órgãos”.

Mesmo desacreditados com os rumos que a Segurança Pública na Bahia vem tomando, os representantes sindicais estão esperançosos e acreditam que, após este ato, o Governador irá dar a atenção que merece a Segurança Pública na Bahia. “É com muita fé e sob a proteção do Nosso Senhor do Bonfim, que as entidades representativas das Polícias Civil e Técnica clamam para que o Governador Rui Costa resgate a dignidade dos Policiais Civis da Bahia, promovendo a necessária valorização desses profissionais, os quais expõem suas vidas, diuturnamente, em defesa da sociedade baiana”, protesta o presidente da Associação dos Escrivães Luis Carlos.

O Presidente do Sindicato dos Policias Civis da Bahia (SINDPOC), Marcus Mauricio afirma que a união de todos os servidores da segurança publica é uma realidade. “Somente esta união terá o poder e a força para alcançarmos nossos objetivos comuns, que é uma policia civil forte, com condições dignas de trabalho e valorização profissional a quem se dedica de corpo e alma para defender a vida e o patrimônio da população. Aqui não têm só servidores, temos pais de família, filhos, avós… Enfim, todos nós hoje sofremos com a violência e infelizmente os nossos governantes não percebem que quando eles sucateiam a Segurança Pública, atingem não somente seus servidores, mas toda a sociedade”, diz Maurício.

O movimento integrado, que completará um ano em julho deste ano, é composto pelo Sindicato dos Peritos Criminais do Estado da Bahia (ASBAC SINDICATO); Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado da Bahia (ADPEB); Sindicato dos Policias Civis da Bahia (SINDPOC); Associação dos Funcionários Púbicos do Estado da Bahia (AFPEB); Associação dos Investigadores da Polícia Civil da Bahia (ASSIPOC); Sindicato dos Investigadores da Policial Civil do Estado da Bahia (SINDPOL); Associação dos Escrivães de Polícia do Estado da Bahia (AEPEB); Sindicato dos Peritos Médicos e Odonto Legais do Estado da Bahia (SINDMOBA) e o Sindicato dos Peritos Técnicos de Polícia do Estado da Bahia (SINDPEP).

Compartilhe Isso