Delegado convida a vereadora Marivalda a depor sobre o caso Francisco

Por Redação
2 Min
No momento do "atentado" Marivalda iria receber o prefeito Francisco em sua residência
No momento do "atentado" Marivalda iria receber o prefeito Francisco em sua residência

Willian Achan, delegado titular da 20º DT/Candeias e Major Moises Brito, responsável pela 10ª Companhia da Policia Militar estiveram na Rádio Baiana Fm 89,3, na tarde desta segunda-feira (10), para trazer esclarecimento sobre o possível “atentado” sofrido pelo prefeito do município Sargento Francisco (PMDB) na última sexta-feira (7), no bairro do Malembá.

Continua depois da Promoção

Disposto a desvendar o caso, o delegado convidou no “ar” a vereadora Marivalda da Silva (PT) à comparecer a delegacia do município para prestar depoimento sobre o ocorrido com o prefeito, isso porque, o suposto atentado aconteceu em frente à sua residência, na rua da 2ª Travessa da Mangueira, em Candeias.

Achan disse que no local do “atentado” foi encontrado apenas um projétil numa casa em construção, sendo que o segundo encontra-se alojado no corpo do segurança atingido, Gil Mendes Calixto. Major Moises informou também que, foram apreendidas duas armas, calibre 38, no trabalho de intensificação que aconteceu no mesmo dia do ocorrido.

Tanto o major quanto o delegado trabalham com todas as hipóteses: roubo de veiculo, desavença, retaliação e, não somente, atentado. Em vários veículos de imprensa o prefeito Francisco afirmou que foi perseguido e, que sofreu, de fato, tentativa de homicídio, no entanto a afirmação do prefeito divide opiniões.

Continua depois da Promoção

Em entrevista a um veiculo de imprensa da capital, o deputado Federal e presidente do PMDB, Lucio Vieira Lima, disse que Sargento Francisco que impor uma situação. “O Prefeito de Candeias quer por que quer, que ele tenha sofrido um atentado, chega até a bater o pé. Foi atentado,foi atentado".

Uilson Victor/BaianaFM

Compartilhe Isso
- Advertisement -