Corte egípcia que analisaria Constituição decide parar por ‘pressões psicológicas’

Por Redação
1 Min

Os trabalhos da Suprema Corte Constitucional do Egito foram suspensos neste domingo (2) por tempo indeterminado em protesto contra a “pressão psicológica”, provocada pelas manifestações de simpatizantes do presidente Mohamed Mursi. Mais cedo, centenas de islamitas cercaram a sede do órgão no Cairo para impedir que os juízes entrassem no prédio. Estava prevista para a sessão deste domingo a análise da legalidade da comissão do país que redigiu um polêmico projeto de Constituição. “Os juízes anunciam a suspensão das sessões da corte até que possam continuar com seus afazeres e decidir sobre casos sem qualquer pressão psicológica ou material”, afirmou o tribunal de máxima instância em comunicado.  Contudo, devido aos poderes adquiridos por Mursi a partir de um decreto validado no 22 de novembro, que retira do Judiciário qualquer possibilidade de questioná-lo, não está claro que efeito a decisão do tribunal teria. O projeto de Constituição e o recente decreto presidencial provocaram protestos generalizados por adversários.

BN

Compartilhe Isso
- Advertisement -