Candeias: Vereador chama colega de Câmara de demagoga e traidora do servidor público

Por Redação
3 Min

Há tempo que a sessão da Câmara de Vereadores de Candeias não debatia uma pauta de relevância na Casa Legislativa. A numeração do projeto é 007 A, referente ao plano de cargos e salários dos 18 servidores da Câmara, no qual, deveria ser votado pelos vereadores o reajuste salarial de 37% na manhã desta quinta-feira (29).

Continua depois da Promoção

Sentindo falta do projeto na ordem do dia, o vereador pedetista Cassemiro Correia perguntou a Presidente da Casa, Maribel Brasil (PSB), porque o projeto não estava em pauta. “O projeto era para está aqui hoje, mas retiraram. Não sei por que tiraram e, nem sei quem foi”, explicou Maribel, desconhecendo o paradeiro do projeto. A vereadora Marivalda (PT) disse que a comissão iria analisar esse valor por que poderia comprometer as contas do legislativo no próximo ano.

Prato cheio para Cassimiro que, trouxe para a discussão, valores de salários recebidos por assessores e verbas de gabinete de cada vereador. “Me surpreende muito vereadora a senhora ser líder dos trabalhadores e dizer que a Casa não tem dinheiro para pagar aos funcionários daqui. No meu tempo, tinha três assessores, hoje têm 13 para cada vereador. Os RTI’s de alguns vereadores chegam a R$ 35 mil; e o seu vereadora é de R$ 25 mil”, esbravejou o vereador.

Cassimiro continuou seu pronunciamento revelador. “A senhora vereadora vem com essa demagogia e discurso bonito e, quem sofre são os trabalhadores. Porque vocês não fizeram como eu fiz quando me perguntaram se eu queria a verba de gabinete. Eu não aceitei porque não está no Regimento Interno, logo é ilegal”, disparou.

Continua depois da Promoção

Marivalda não perdeu a oportunidade de lembrar aos presentes sobre a conduta de Cassimiro, entre outras palavras disse “Eu tenho moral para falar vereador, porque não é o meu nome que está envolvido no esquema de limpeza pública”.

Convidados pela equipe da Rádio Baiana FM 89,3 para falar sobre o assunto, o vereador Cassimiro disse estar nervoso e poderia falar demais. “Antes de eu sair daqui vou dar uma entrevista e denunciar os erros que existem aqui dentro”, prometeu. Marivalda disse em entrevista que convidou o vereador Cassimiro à participar da reunião entre a comissão e os funcionários, mas não aceitou. “Vamos mostrar as reais condições aos servidores sobre o reajuste. Não adianta aprovar uma coisa e, depois não cumprir com o acordo. Vamos fazer o possível para que o servidor seja beneficiado nesse embate”, encerrou a vereadora.

Baiana FM

Compartilhe Isso
- Advertisement -