Isidório sobre Daniela: “eu entreguei as lésbicas ao Ibama”

Por Redação
3 Min
Sargento_isidorio_gilbertojunior__bocaonews-400x265
O deputado estadual Sargento Isidório (PSB) foi o entrevistado da noite desta segunda-feira (16) e não economizou na polêmica diante dos microfones da Itapoan FM. O parlamentar falou de uma série de assuntos – a maioria relativa à sexualidade humana – e decretou que, para ele, as lésbicas são agora assunto do Ibama, incluindo Daniela Mercury.
“Eu entreguei os gays a Deus. Já as mulheres lésbicas eu entrego ao Ibama, porque ali é coisa de aranha, né? É aranha brigando e o pessoal quer acabar com as aranhas. Então é coisa pro Ibama”, falou. Sobre a Rainha do Axé, Isidório convocou a cantora a se assumir “homem” de uma vez e também disse que Daniela sofre de outros “problemas”. “Ela no mínimo está tendo visões. Está vendo coisas onde não tem. Está vendo bilau onde não tem.”
Isidório descreveu também a relação que tem com os gays que porventura atende na Fundação Dr. Jesus, ONG de tratamento a dependentes químicos que coordena em Candeias. Segundo ele, é preciso haver vigilância porque há muitos internos que, além de ainda tentarem manter o vício, também estão no local “mariscando”. “Mariscando é querer ficar lá dentro querendo pegar na jiboia dos outros. Eu não posso deixar bicha caçando, mariscando dentro do alojamento”.
Para evitar a “mariscagem”, Isidório diz ficar atento ao momento dos banhos coletivos, em que 40 homens entram ao mesmo tempo para lavar as partes e depois saem. “Quando eu vejo que tem um lá eu vou com ele e digo ‘meu amigo, você se controle porque senão eu vou ter que colocar você para tomar banho em outro banheiro”, revelou. O problema obrigou o deputado a criar um outro banheiro apenas para evitar os atritos dos répteis.
Outra das polêmicas do deputado foi a cruzada que faz contra o casamento gay e reclamou de ser considerado homofóbico. Para ele, é legítimo defender a família e evitar que os meios de comunicação – especialmente a Rede Globo – promovam o que considera uma “campanha incentivando o homossexualismo”. Por fim, disse que o projeto de lei que substitui os registros de “pai” e “mãe” nas certidões de nascimento por “filiação” o “projeto da desgraça nacional”.
Ao falar sobre a suposta perseguição que recebe do colega de parlamento Carlos Gaban (DEM), o socialista disse que o deputado é um “pobre coitado”, mas que o perdoa e convida para ir á Dr. Jesus conhecer o projeto. ”No dia em que ele for lá, ele vai ser reverenciado como todo mundo. (…) Ele é contra tudo. Quando o cara está na oposição ele vira cigarra. Fala até estourar as costas. Mas quando ele era governo, n era contra nada.”
Compartilhe Isso
- Advertisement -