SAO JOAO
SAO JOAO

Lucas Souza abre o jogo sobre pressão envolvendo sexualidade, seguidores caindo

Por Redação
3 Min

Desde que Lucas Souza se separou de Jojo Todynho, alguns boatos envolvendo a sexualidade do ex-militar começaram a rodar a internet e foi só depois dele ter participado de ‘A Fazenda 15‘ que o famoso tomou a decisão de abrir o jogo nas redes sociais e afirmar que se entende como uma pessoa panssexual. No entanto, semanas após o anúncio, Lucas explicou como se sentiu pressionado a falar sobre e ainda abriu o jogo sobre a perda de seguidores.

Mãe de Davi Brito se filia à partido político e explica: “Eu quero atender as expectativas”

“Minha sexualidade, eu me senti pressionado para falar, só que eu [pensei] ‘vou falar no meu tempo, quando eu estiver bem com minha família, bem comigo mesmo, porque eu sei que vai ser um assunto que vai ser debatido, polemizado e se eu não estiver bem psicologicamente vai ser um trauma para mim’,” contou ele, que seguiu falando sobre as cobranças externas que sentiu para dar satisfação sobre sua vida. “A galera gosta muito de saber sobre vida pessoal. Eu não tenho melindre em falar porque me tornei uma pessoa pública por polêmica. Surge essa cobrança para falar, se posicionar. Cabe a você lidar da melhor maneira possível, ter maturidade, compreensão de que determinados assuntos você se posiciona, outros não,” contou.

Por fim, o ex-A Fazenda abriu o jogo sobre como perdeu seguidores nas redes sociais após a revelação. “Esse último mês eu perdi 200 mil seguidores por conta do meu pronunciamento, da minha carta aberta, mas ao mesmo tempo ganhei 205 mil novos seguidores. Então meu público mudou, está nesse processo de transição,” finalizou.

Lucas Souza relembra que sofreu homofobia enquanto ainda era militar
Foi em uma entrevista ao podcast ‘Sala de TV’ que Lucas Souza abriu o coração sobre a época em que conviveu em um ambiente militar. No desabafo, o famoso relatou que viveu uma fase “sufocante” devido a homofobia dos colegas, o que lhe fez “reprimir” sua própria bissexualidade.

“Você entra num universo em que a sexualidade [não hétero] é chacota, que determinadas coisas são feias, que ter um trejeito [afeminado] é alvo de várias críticas, de zoação, então aquilo foi reprimindo minha sexualidade”, iniciou Lucas. “O militarismo surgiu na minha vida por necessidade, por eu ter passado num concurso que me daria uma condição mínima para sobreviver. Fui, gostei, me identifiquei com algumas coisas, como ser bem direto, sem enredos, só que é um ambiente extremamente machista, conservador”, seguiu. “Tendo oportunidade de uma vaga, um cargo melhor, eles te barram. Infelizmente é um ambiente muito homofóbico. Essas coisas pegavam para mim, traz traumas e você vai se reprimindo. Não é um sentimento legal”, finalizou o influenciador digital.

Compartilhe Isso
- Advertisement -