Usuários de streaming contam segredos para economizar em assinaturas

Por Redação
4 Min

Usar e cancelar serviços de streaming: uma nova tendência preocupante

A inflação, os ajustes constantes em planos, a volta da socialização pré-pandemia e o catálogo sem apelo são motivos de preocupação para os usuários de streaming. Além disso, o fim do compartilhamento de senha tem gerado incertezas nesse mercado. No entanto, uma tendência vem ganhando força: assinar, assistir aos filmes e séries desejados e, em seguida, cancelar o serviço.

De acordo com dados da pesquisa Antenna citados pelo jornal The New York Times, cerca de 29 milhões de americanos, equivalente a aproximadamente um quarto dos assinantes domésticos de serviços de streaming, adotaram esse comportamento. Esse número vem crescendo rapidamente, sinalizando uma mudança significativa no comportamento do consumidor.

Natasha Lyonne em “Poker Face”. Imagem: Peacock / Divulgação

Por exemplo, Josh Meisel e sua esposa, moradores nos arredores de Boston, nos Estados Unidos, resolveram testar essa tendência. Ao querer assistir ao drama “Poker Face” no Peacock, eles combinaram de cancelar a assinatura após duas semanas se perdessem o interesse. Acabaram cancelando o serviço e repetindo a ação com Max, Apple TV+ e Hulu.

A prática, chamada de “churn serial” pela Antenna, refere-se a pessoas que cancelaram três ou mais serviços nos últimos dois anos. Em 2023, esse segmento representou cerca de 40% de todas as novas assinaturas e cancelamentos.

Estratégias das empresas de mídia para lidar com a nova realidade

Enfrentando desafios na adaptação à era do streaming, as empresas de mídia têm procurado soluções para lidar com essa volatilidade no mercado. A redução de investimentos em novos programas e o aumento dos preços das assinaturas são obstáculos enfrentados por elas. Essa realidade também afetou o cenário de streaming no Brasil, com aumentos perceptíveis na Max, Prime Video e, segundo rumores, na Netflix.

Imagem: Emre Akkoyun/Shutterstock

Para tentar reduzir essa oscilação, empresas como Paramount, Warner Bros. Discovery, NBCUniversal e Disney estão considerando reintroduzir elementos do pacote de cabo tradicional e vender serviços de streaming em conjunto. A Disney já teve sucesso ao oferecer um pacote que inclui Disney+, Hulu e ESPN+. Além disso, estão promovendo novas funcionalidades e conteúdos exclusivos em seus aplicativos para manter os assinantes engajados.

Impacto no mercado e sensibilidade ao preço

Apesar de os assinantes “nômades” serem geralmente mais jovens e com renda levemente menor, CEO da Antenna, Jonathan Carson, destaca que esse comportamento não se limita a um grupo específico. Ele afirma que essa prática deixou de ser um nicho e se tornou dominante no mercado em apenas três anos.

Uma pesquisa da Deloitte mostrou que os americanos com assinaturas de streaming estão gastando em média US$ 61 por mês em quatro serviços, um aumento em relação aos US$ 48 do ano anterior. Quase metade dos entrevistados indicou que cancelaria seu serviço de streaming favorito se o preço mensal aumentasse em mais US$ 5.

Compartilhe Isso
- Advertisement -