Novo aliado no tratamento da dependência de drogas

Por Redação
4 Min

Superar a abstinência de drogas é uma das etapas mais complicadas para dependentes químicos em recuperação. Nesse processo podem haver diversas recaídas. Mas parece que a luta vai ganhar um novo aliado! Evidências científicas revelam que um antibiótico econômico pode reduzir os efeitos recompensadores da morfina e da cocaína.

A descoberta é de uma pesquisa brasileira conduzida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e o instituto francês Paris Brain, ICM – Institut du Cerveau et de la Moelle épinière, Salpetriére Hospital.

**Medicamento promissor contra o vício em drogas:**

Um antibiótico barato comumente utilizado no tratamento de infecções bacterianas e parasitárias, a doxiciclina, foi aplicada em doses baixas e seguras em mais de 300 ratos machos previamente expostos à morfina e cocaína em um experimento. O medicamento conseguiu reduzir os efeitos recompensadores das substâncias e comportamentos ligados ao uso de drogas.

As evidências inéditas mostram que futuramente o medicamento pode apoiar o tratamento de dependentes químicos. A equipe de pesquisa pretende expandir os estudos para ratas fêmeas e aprofundar os conhecimentos sobre como o antibiótico age nos organismos dos animais. Além disso, as investigações também devem avaliar outro fármaco semelhante à doxiciclina, a demeclociclina.

**Como a doxiciclina age no cérebro?

A doxiciclina tem propriedades com poder de atravessar uma barreira no cérebro chamada hematoencefálica. Assim, consegue inibir a ação das metaloproteinases, uma enzima responsável por atuar na reparação de tecidos celulares.

Este mecanismo tem chamado a atenção de cientistas que acreditam no potencial das propriedades do antibiótico no tratamento de distúrbios no cérebro. Segundo a pesquisa brasileira, o aumento da presença de metaloproteinases está ligado às mudanças neuroplásticas. O fato indica a existência de alguma ação das enzimas por trás do vício em drogas.

**Mudanças comportamentais associadas ao uso de drogas:**

Os animais utilizados nos experimentos tinham reações comportamentais ao uso de drogas identificadas em pesquisas anteriores. No caso, a preferência por determinados lugares após exposição à droga e um aumento na atividade locomotora depois do uso repetido das substâncias.

A aplicação de doxiciclina nos animais reduziu a preferência por lugares associados ao uso de morfina, sem afetar o efeito analgésico. O mesmo efeito foi observado com a cocaína, onde a doxiciclina também preveniu o aumento na atividade locomotora.

Amanda Sales, responsável por conduzir os testes, enfatiza, ao Jornal da USP, a importância desses resultados, já que o abuso de substâncias é um problema global de saúde pública que requer tratamentos mais eficazes, devido aos impactos negativos que causam na vida das pessoas.

A descoberta dessa pesquisa é um avanço extremamente significativo no campo da dependência química. Com a possibilidade de um tratamento promissor à vista, a sociedade pode caminhar para uma abordagem mais eficaz e compassiva em relação aos dependentes químicos. Espera-se que mais estudos sejam realizados para confirmar a eficácia da doxiciclina e seu potencial para transformar a abordagem ao tratamento da dependência de drogas.

Compartilhe Isso
- Advertisement -