MP pede interdição urgente do Terminal Marítimo de Madre de Deus

0
Ponte do terminal já desabou em 2018 (Foto: André Frutuoso/Arquivo CORREIO)

O promotor de Justiça Cristiano Chaves, acionou a Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (Sinart) para que repare, em caráter de urgência, as instalações físicas do Terminal Marítimo de Madre de Deus. O promotor de Justiça pediu também que se determine a interdição do terminal até que sejam realizadas as obras necessárias à segurança e proteção da coletividade. Requereu ainda que a Justiça determine o pagamento de multa por danos morais coletivos, no valor de R$ 50 mil.

A ação levou em consideração diversos problemas estruturais apresentados pelo terminal desde 2018, com destaque para o desabamento da ponte de embarque e desembarque de passageiros. O promotor de Justiça chamou atenção para o fato de que, na época, a Sinart reconheceu o problema e se comprometeu em reformar, assegurando que “a rampa seria reconstruída, e a outra rampa, que estava funcionando, seria reforçada”.

Assim, acrescentou Cristiano Chaves, o terminal continuou funcionando “sob a alegação de que não haveria risco à população em geral”. No entanto, o MP solicitou a produção de um relatório técnico de diagnóstico das estruturas em concreto, passarelas móveis e píeres flutuantes dos atracadouros do terminal, realizado por meio da sua Central de Apoio Técnico (Ceat). O relatório constatou a incapacidade de funcionamento pleno do terminal, “por conta de inúmeras vulnerabilidades, com um risco iminente de acidentes”.

Uma ponte do terminal marítimo de Madre de Deus desabou parcialmente em janeiro de 2018. Alguns passageiros que passavam pelo local no momento do acidente caíram na água e foram socorridos. Apesar disso, ninguém ficou ferido. A ponte era usada como embarque e desembarque de passageiros, que precisaram utilizar uma segunda rampa instalada no terminal. Correio24

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.