Acompanhe as últimas notícias da Cidade de Candeias na Bahia com credibilidade na informação sobre política, esportes e ações policias da região.

“Pitágoras jamais queria Lucimeire Magalhães como presidente da Casa”, afirma vereador


O vereador da oposição, Arnaldo Araújo (PSDB), explicou hoje (19), em entrevista ao programa Baiana Livre, a decisão de abrir mão da candidatura para apoiar a vereadora Lucimeire Magalhães (PTC) para presidente da Casa. A edil foi eleita com nove votos contra oito ausências, em uma eleição tumultuada, na última segunda-feira (17). “O tempo todo venho trabalhando com oito vereadores, tinha oito votos garantidos, faltava o nono voto. No dia da eleição, estava quase certo o nono voto. Depois esse nono voto recuou. Quando a gente está no baba e percebe que não dá certo, a gente tira a bola porque sem bola não há baba. Foi o que eu fiz. Tive a humildade de recuar para colocar a vereadora Lucimeire para disputar e garantir a ela nove votos contando o dela, já que eu tinha oito garantidos”, afirmou o vereador.

Apesar da vereadora pertencer a base do prefeito Dr. Pitágoras Ibiapina (PP), Arnaldo defendeu que Lucimeire foi eleita pela oposição e que ela não era a opção do governo para a disputa. “Se o prefeito, tentando enganar as pessoas, dizer que a vereadora eleita é da base, ninguém está aqui para dizer que não. Mas estou aqui para dizer que o prefeito Dr. Pitágoras jamais queria Lucimeire Magalhães como presidente da casa. Ela é presidente por causa do bloco de cá. Nós queríamos derrotar o candidato do prefeito”, destacando que os vereadores deveriam ter participado da eleição. “Os demais vereadores correram, fugiram da casa. Se eles achavam que Lucimeire era da base de governo, eles tinham ficado e dado o voto a ela. Eles correram e não contavam com Lucimeire presidente, ressaltou.

Sobre uma possível ida da vereadora eleita para o bloco da oposição, Arnaldo declarou que a decisão será da nova presidente. “É uma decisão dela. Se ela quiser vim para a oposição, ela será bem-vinda. Se ela quiser continuar dando sustentabilidade a base do governo, não teremos objeção”, frisou.

CASSAÇÃO

Questionado sobre a ação na Justiça Eleitoral onde é investigado por suposta compra de votos, o vereador alegou que testemunhas foram subornadas e o que segue confiante .”Compraram testemunhas, pagaram no valor de R$ 1, 6 mil para uma testemunha mentir. Todas as testemunhas que mentiram foram para a Polícia Federal, sentou na frente do juiz e do promotor, desfez e ainda disse detalhadamente como tudo ocorreu. Na verdade, elas não queriam atingir o vereador, eles queriam atingir o prefeito, me usaram para chegar até o prefeito. Estou seguro e 99% de chance de não ser cassado. Não é o mesmo o que acontecerá com o prefeito Dr. Pitágoras”, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.