Acompanhe as últimas notícias da Cidade de Candeias na Bahia com credibilidade na informação sobre política, esportes e ações policias da região.

Justiça autoriza mudança de nome e gênero de criança de 3 anos

© Pixabay

O Tribunal de Justiça do Acre autorizou a mudança de nome e gênero de uma criança intersexo de 3 anos, que foi registrada, primeiramente, como do sexo feminino. A decisão não cabe recurso.

De acordo com a revista ‘Veja’, a mãe só soube que a criança havia nascido com dois sexos após registrá-la como menina. Só depois de alguns dias, a mulher – que preferiu não ser identificada – percebeu que o bebê tinha um pequeno pênis. A intersexualidade foi confirmada com a avaliação de uma médica geneticista do estado.

+ Acampamento pró-Lula pode ser mantido por vaquinha virtual

“Nesse momento, o meu mundo caiu, a minha vida acabou. Comecei a chorar desesperada, não aceitava de jeito nenhum. Entrei em depressão profunda. Não queria mais ver meu filho e nem ninguém, só conseguia chorar”, revela.

“Desde os meus seis anos de idade minha mãe dizia que nasciam muitas crianças hermafroditas [termo usado antigamente para intersexuais] no Brasil. Porém, nunca imaginei que isso iria acontecer comigo. Infelizmente aconteceu e meu único filho nasceu com dois sexos. Até hoje eu não me acostumei com essa ideia”, desabafa.


A mãe contou ainda que sabia, desde o início, que a criança não se identificava com o sexo feminino. “Desde muito cedo eu percebi que meu filho era um menino. Ele era um bebê que tinha uma força anormal, diferente das meninas. Além disso, eu comprava bonecas e ele jogava nos cantos da casa. Quando eu comprava carrinho, ele ficava feliz da vida brincando”, disse.

Para descobrir o gênero da criança, ela foi submetida a um exame de cariótipo. O teste confirmou que a composição cromossômica do bebê é XY. Em seguida, laudos de médicos e psicólogos da cidade atestaram a identidade de gênero da criança.

“O Tribunal de Justiça do Acre reconheceu a identidade de gênero da criança e deu a ela o direito de trocar seus documentos. Para nós, trata-se de uma vitória sem precedentes. Nunca antes a Justiça havia decidido uma alteração de nome e gênero em uma criança tão nova”, disse presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-AC, Charles Brasil.

  1. Lima Silva
    Lima Silva Diz

    Essa justiça Brasil hj em dia está uma merda msm

  2. Neia Ferreira
    Neia Ferreira Diz

    Que absurdo! Fim dos tempos

  3. Marcia Costa
    Marcia Costa Diz

    Não tem nem como contestar se o cromossomo é de menino.

  4. Grazy Silva
    Grazy Silva Diz

    Jesus por favor, venha logo, estamos esperando desesperados pela sua vinda a este mundo novamente.

  5. Adriana Cibele Silva
    Adriana Cibele Silva Diz

    Que palhaçada é essa.
    Esse povo ta brincando demais com o que Deus criou e não vai tardar a mão poderosa do Senhor pesar.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.