Escândalo em Madre de Deus: Ex-Prefeito Cassado e Esposa no Centro de Grave Investigação

Redação Redação 13392 vistos
3 Min

Um escândalo envolvendo o ex-prefeito cassado de Madre de Deus, Jeferson Andrade, e sua esposa, Naiara Cardoso, ex-secretária de saúde, está se desdobrando com a investigação do Ministério Público Estadual. A suspeita recai sobre a contratação do Instituto de Gestão, Saúde e Tecnologia – IGST, que, curiosamente, teve origens como um centro espírita, transformou-se em uma associação para tratar usuários de drogas e, posteriormente, atuou exclusivamente no município de Madre de Deus.

Foram firmados três contratos entre a gestão anterior e o IGST (contratos 022/2019, 091/2019 e 209/2019), totalizando a quantia expressiva de R$ 25.196.600,39. Destes, o IGST recebeu R$ 22.911.851,20, correspondendo a 90,93% do valor total. No entanto, essa aparente remuneração expressiva não reflete apenas problemas financeiros para o município.

A gestão de Jeferson Andrade e Naiara Cardoso deixou um rastro de problemas, incluindo inadimplência com várias empresas e ações judiciais. Além disso, os funcionários do IGST não receberam suas rescisões trabalhistas, gerando uma dívida que a atual administração de Dailton Filho está gradativamente pagando.

O Ministério Público Estadual está conduzindo o Inquérito Civil nº 003.9.168423/2020, que apura diversas irregularidades, desde fraude à licitação até falsificação de documentos. O ex-prefeito cassado e sua esposa terão que prestar esclarecimentos sobre essas acusações, e o inquérito civil se encaminha para uma fase final de apuração.

Paralelamente à esfera cível, a investigação também abrange o crime de improbidade administrativa e está sendo apurada na área criminal, bem como no Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia. O Ministério Público Federal está investigando a mesma denúncia, conforme o declínio de atribuição do IDEA nº 003.9.31222/2019.

Atualmente, Jeferson Andrade preside o partido União Brasil em Madre de Deus, alinhando-se à direita e apoiando o bolsonarismo. Sua nomeação gerou controvérsias dentro do próprio grupo, com membros discordando da adesão. Há discussões sobre desvinculação desse grupo devido a essa decisão de “Batista”, como é conhecido.

Outro desafio para o grupo é a inexigibilidade de Jeferson, que parece incapaz de transferir votos, enfraquecendo ainda mais a coesão do grupo nos últimos meses.

Envolto em inúmeros processos judiciais e investigações, tanto no Ministério Público Estadual quanto Federal, no Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, na Polícia Civil da Bahia (DECECAP) e na Polícia Federal, Jeferson Andrade enfrenta um futuro incerto e turbulento.

Compartilhe Isso
- Advertisement -