Secretário de Saúde de Candeias aborda desafios e estratégias no combate a arboviroses

Por Redação
3 Min

O número no aumento de casos da Dengue no Brasil tem sido motivo de grande preocupação para gestores, profissionais de saúde e para a população. Em entrevista à rádio Baiana FM 89,3, na manhã desta terça-feira, 20/02, o secretário de Saúde, Marcelo Cerqueira, detalhou as ações da Prefeitura no combate as arboviroses e plano de contingência para evitar o contágio e aumento dos casos no município.

Marcelo explicou que o mosquito Aedes aegypti, tem a capacidade de transmitir, além da dengue, chikungunya, zika, febre-amarela e outras epizootias, e que a situação é ainda mais preocupante porque o período do ano onde os casos aumentam é geralmente entre os meses de março e abril, no entanto, devido ao aumento do calor e ocorrências de chuvas, os mosquitos tem se proliferado mais rápido já em um mês e meio deste ano.

No Brasil temos uma situação atípica de circulação dos quatro sorotipos de dengue, e todos os sorotipos estão circulando nas cidades ao mesmo tempo. “Quando a pessoa tem a infecção, ela cria a imunidade para o tipo de vírus ao qual foi infectada, mas permanece suscetível aos sorotipos em circulação, podendo ficar doente de novo e ter uma infecção mais forte em outros casos”, disse o secretário.

Em meio à entrevista, Marcelo Cerqueira, frisou as ações da gestão municipal para combater o mosquito. “Os agentes de saúde realizam a cada dois meses ciclo de visitas nos imóveis, bloqueio espacial “UBV” fumacê” em locais com casos suspeitos ou confirmados, tratamento perifocal com adulticida em pontos estratégicos, tais como oficinas e borracharias, cemitério, ferros-velhos, acumuladores de recicláveis, rodoviária e garagens, além das campanhas permanentes de conscientização, através do núcleo de educação permanente da equipe de endemias e do programa Saúde na Escola, parceria entre a Sesau e a Seduc”.

Ainda conforme o secretário, o município recebeu na última quinta-feira, pouco mais de 2.100 doses da vacina contra a dengue para vacinar todas as crianças de 10 e 11 anos do município. Durante a entrevista, Marcelo fez um apelo aos pais e responsáveis para levarem as crianças até o posto de vacinação Proteger para se vacinarem, pois esse público é mais suscetível a adquirir a forma mais grave da doença.

Por fim, Marcelo pediu a colaboração da população no combate a dengue, e lembrou que mais de 80% dos criadouros do mosquito são dentro de casa, em calhas, ralos com água parada e até mesmo vasos de água para animais domésticos.

Compartilhe Isso
- Advertisement -