FPC conhece Biblioteca Pública Virgílio Barco em Bogotá

Por Redação
3 Min

No último sábado, dia 20, a Fundação Pedro Calmon (FPC), unidade ligada à Secretaria de Cultura da Bahia, realizou uma visita à Biblioteca Pública Virgílio Barco, uma das maiores bibliotecas de Bogotá, na Colômbia, que é gerida pela Rede de Bibliotecas Públicas da cidade.

A Biblioteca Virgílio Barco faz parte da rede de megabibliotecas BibloRed da Rede Distrital de Bibliotecas Públicas de Bogotá. O Diretor Geral da FPC, Vladimir Pinheiro, foi recebido por Andrea Victorino, diretora de Leitura e Bibliotecas de Bogotá, e sua equipe, para uma visita onde puderam trocar experiências, conhecer o sistema e estabelecer possíveis cooperações. Durante a visita, destacou-se o fluxo significativo de público que frequenta a Biblioteca Virgílio Barco, o que reflete uma importante característica cultural do povo colombiano.

Na ocasião, foram discutidas questões relacionadas às dificuldades na gestão das bibliotecas, visando a democratização do acesso aos acervos e a promoção da diversidade de linguagens literárias. Vladimir Pinheiro ressaltou a importância desse momento rico de trocas e cooperação entre a Rede de Bibliotecas Públicas da Colômbia e o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas da Bahia.

Além disso, a Biblioteca Virgílio Barco é reconhecida como um dos espaços culturais mais emblemáticos de Bogotá, oferecendo uma variedade de ambientes e serviços, como salas digitais, auditório, pavilhão infantil, entre outros. Com um acervo de 70 mil livros emprestados mensalmente e uma média de 200 mil visitantes por mês, a biblioteca desempenha um papel fundamental no acesso à informação e cultura na cidade.

Ainda foi ressaltado o programa Manhãs de Cuidados, que atende pessoas envolvidas no cuidado de familiares com problemas de saúde, oferecendo um espaço na biblioteca para o cuidado da saúde mental. Esse projeto busca promover a democratização da informação e dos direitos culturais, facilitando a construção de diálogos e transformações sociais e culturais.

A Biblioteca Virgílio Barco, projetada pelo arquiteto Rogelio Salmona e inaugurada em 20 de dezembro de 2001, tornou-se um centro de desenvolvimento social e cultural da cidade, com um acervo de 97.572 volumes, incluindo livros, tablets, livros digitais e material audiovisual.

A visita proporcionou uma oportunidade única de troca de experiências e cooperação entre as duas instituições, visando o fortalecimento da cultura e do acesso à informação nas comunidades atendidas por suas bibliotecas.

Fonte: Ascom/FPC

Compartilhe Isso
- Advertisement -